Sua empresa tem um organograma? Saiba como construir

exemplo de organograma

O organograma é uma representação visual similar a um gráfico, ele deve ser dinâmico, flexível e funcional, possibilitando a interação entre todos os setores da empresa. Essa espécie de diagrama é usada para representar as relações hierárquicas de uma empresa.

Através da elaboração do organograma é possível visualizar de forma hierárquica a distribuição dos cargos, funções e a comunicação entre eles. Ou seja, essa ferramenta é fundamental para a estrutura organizacional de um negócio.

Além de facilitar a visualização de todos os cargos e suas respectivas funções, o organograma também permite que sejam enxergadas falhas antes despercebidas ou até mesmo oportunidades de melhoria.

Por exemplo, com a análise é possível descobrir um colaborador que responde a dois líderes ao mesmo tempo, com o mesmo nível de hierarquia. 

Confira agora algumas características do organograma!

Características do organograma

Resumidamente, o organograma é uma fotografia da hierarquia e da divisão de funções presentes em uma empresa. O seu papel é representar, através de diferentes gráficos, quem é subordinado a quem e como é estabelecida a comunicação entre os diferentes setores da organização.

Na prática, o organograma precisa contar, essencialmente, com duas partes interligadas. As linhas e os retângulos, as primeiras representam o fluxo de autoridade e comunicação estabelecida entre os cargos. Já os retângulos, representam os cargos entre os quais flui a autoridade.

Contudo, algumas organizações adotam outras características na composição do organograma. Algumas, por exemplo, planejam também a estrutura orgânica que pretende ser alcançada em um futuro próximo.

Outras adicionam os diferentes cargos e funções com o objetivo de estabelecer níveis de hierarquia e utilizá-los para a construção dos planos de carreira dos colaboradores. Nesses casos, o resumo das descrições de funções de cada cargo precisa estar bem definido.

Essas situações de adaptação do organograma não podem ser consideradas como erro. Afinal, cada diagrama é definido por convenção e, dessa forma, obedece às normas que são estabelecidas para sua elaboração e interpretação.

Tipos de organograma

Além das diferentes concepções do organograma, também existem variados tipos para a sua organização. No entanto, todos possuem o mesmo objetivo: representar os níveis hierárquicos e as relações entre eles.

Conheça os principais tipos:

  • Verticais → também conhecido como modelo clássico, o organograma vertical possui uma representação mais clara e direta da hierarquia da empresa. Na sua elaboração utiliza-se retângulos que representam os cargos e linhas que fazem as ligações entre eles;
  • Em barras → nesse modelos, utiliza-se retângulos maiores posicionados de forma vertical. A diferença aqui, está no fato de que o retângulo aumenta e diminui conforme a importância e autoridade de cada cargo;
  • Setorial → os organogramas setoriais são elaborados através de círculos concêntricos. Os localizados no centro representam os cargos mais elevados, as demais funções se ramificam a partir daí.

Passo a passo de um organograma

A elaboração de um organograma funcional precisa seguir alguns passos básicos pré-estabelecidos. Confira o passo a passo para a construção de um gráfico claro e conciso.

Passo 1 – Defina claramente as funções

Primeiramente, o profissional responsável pelo organograma deve saber exatamente cada função existente na empresa e todas as atividades que a mesma realiza. Somente dessa forma será possível dar início à construção da hierarquia.

Na construção do mapeamento minucioso dos cargos, também é importante acompanhar um pouco da rotina diária de cada setor. Assim, o profissional do RH poderá ter um entendimento profundo do funcionamento de todas as áreas da empresa.

Passo 2 – Identificação dos líderes

Após o processo de estudo e mapeamento dos cargos, o Recursos Humanos precisa identificar quais são os líderes de cada equipe, ou seja, definir um responsável pelas estratégias e pelo direcionamento das ações.

Porém, não é indicado que os líderes sejam indicados aleatoriamente. Para ocupar tal posicionamento o profissional precisa estar ciente de todas as suas responsabilidades naquele cargo.

Passo 3 – Oficialização

Para finalizar, a área de RH, que construiu o organograma precisa realizar uma análise minuciosa de cada detalhe contido no documento. Além de conferir a legitimidade das informações com os gestores das equipes e do setor administrativo.

Por fim, o organograma já estará pronto para ser divulgado entre os colaboradores da organização. É importante que todos realizem o uso estratégico das informações contidas no gráfico, pensando nas deficiências e nas melhorias a serem implementadas na empresa.

A importância do organograma nas empresas

Muitas empresas ainda acreditam que a elaboração de um organograma se resume ao ato de organizar e distribuir as responsabilidades e os limites de autoridade. Essas características representam a essência da ferramenta, por si só já são importantes, mas não são tudo o que o organograma pode oferecer!

O organograma também é um documento importante para a profissionalização e a organização da estrutura de uma empresa, principalmente aquelas que estão iniciando. Através dele a delegação de poderes se dará de maneiras mais transparentes e simples, evitando possíveis complicações e danos financeiros.

A clareza na definição dos cargos e nos níveis de autoridade é o ponto chave do organograma. Afinal, implementar esse gráfico significa respeitar as pessoas e as posições que elas ocupam, definindo obrigações claras que podem ser cobradas em caso de desvios de resultado, por exemplo.

Não pense que com a adoção do organograma a empresa irá apenas aumentar o nível de burocracia ou perder a flexibilidade entre as funções. Na verdade, essa ferramenta é fundamental para que os colaboradores conheçam a empresa e possam contribuir ainda mais para o crescimento da mesma.


Por fim, não esqueça que a finalidade do organograma é agilizar processos, colaborar com a comunicação interna da empresa e marcar os fluxos e canais pelos quais as atividades devem acontecer.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *